sábado, 22 de agosto de 2009

coração no avesso.

e eu nessa cama confortável e mesquinha!
longe da alma quente das ruas.

e eu nessa cama confortável e mesquinha!
e o que fizemos pra nós além dessa selva de concreto?

e como é ela é seca e mesquinha, e mórbida,
do jeito que a gente come o mórbido como vermes,
rastejam e rastejam.

e apodrecem de tão podres que eram.
de tão podres que são
e de tão podres que sonham em ser.

2 comentários:

cláudia i, vetter disse...

sonhar é consumir a força e pra dentro, a vontade de transformar.

''...agora sabes que sou verme
agora sei da tua luz,
se não examino-me a epiderme,
é, nunca estrela te supûs...

mas se cantar pudesse um verme,
eu cantaria a tua luz...''


;****

Fern. disse...

que lindo seu blog, essa ventania de pensamentos e sentimentos!

e a alma, que tão sincera, almeja somente aquilo que ela pode ser nesse momento, podre, por estar em uma cama quente e egoísta.

Muito honesto.

Curti.

Beijos!