sábado, 4 de outubro de 2008

mesmo que não seja mais dor.

"...sabe que o meu gostar por você chegou a ser amor pois se eu me comovia vendo você pois se eu acordava no meio da noite só pra ver você dormindo meu Deus como você me doía de vez em quando eu vou ficar esperando você numa tarde cinzenta de inverno bem no meio duma praça então os meus braços não vão ser suficientes pra abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta mas tanta coisa que eu vou ficar calada um tempo enorme só olhando você sem dizer nada só olhando e pensando meu Deus como você me dói de vez em quando".

Ah, Caio F., você diz tudo às vezes.

2 comentários:

bea disse...

é, ele acerta em cheio!

os morangos mofados que o digam!

Duda disse...

"(...)meu Deus como você me dói de vez em quando".
Como uma frase assim - sozinha - consegue ser tão bonita, hein?


Isso das cores...eu não consigo achar algo mais paupável e mais próximo de minhas sensações, sabe?

Posso te linkar lá no meu blog? Sempre gostei do jeito que tu escreve...