segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

escada marrom.

Ando pela praça, pelas avenidas e ando e ando e ando e parece que chegar nunca é destino. Destino é ficar andando e andando e andando. E quando vejo que preciso parar é quase abismo. Parado a cabeça para junto. Ou talvez seja pior estar andando o tempo todo e sentir-se parado. Meu sentido some quando a cabeça começa a rodar e é quase sempre, agora.

Preferível o quase sempre - vento.

3 comentários:

Anna Paula Stolf disse...

"Destino é ficar andando e andando e andando."

a verdade é que é tudo um grande meio.. ai ai

bea disse...

depende dos motivos que se anda, eu acho. porque andar à toa, só pra evitar ficar parado, cansa.

mas andar quando se sabe aonde quer chegar, esse é o melhor de todos. de forma análoga, a chuva é tão determinada quanto os passos; ela chegao ao chão, os passos a qualquer lugar que desejem.

Tati Plens disse...

fazer de tudo um caminho pensado sempre não dá a mínima vontade.