segunda-feira, 22 de março de 2010

de quem é o poço?

Cama macia pra dormir, ração pra comer, chuveiro pra aquecer, livro pra ler, tv pra entreter, computador pra virtualviver. E ele sem teto e sem chão. O estômago que range uma fome só - sem olhos pra desejar.

5 comentários:

Luiz Esparrachiari disse...

Lembrei do trecho de uma música:

"Gracias a la vida que me ha dado tanto/Me ha dado la risa y me ha dado el llanto/Así yo distingo dicha de quebranto/Los dos materiales que forman mi canto/Y el canto de ustedes que es el mismo canto/Y el canto de todos que es mi propio canto", Violeta Parra.

E como o outro nos representa, no mesmo canto, na mesma vida.

Bia Carvalho disse...

Olá!
Estou aqui para apresentar meu novo blog especializado em Suspenses Românticos, tanto os de banca quanto os de livraria.

Amor, mistério & Sangue

Espero que goste!

Bjs
Bia

Flavih Jones disse...

Triste verdade.
Chega a doer imaginar essas situações.

.ana disse...

uns tem tanto, outros tem nada...
=/

Fern. disse...

Hum, que dor! deve ser culpa;