domingo, 28 de junho de 2009

Ah meu coração, quando pulsas nessas horas é quase cheio que preenche tanto ar que não aguento. Venta tanto que é até dificil se segurar! Intacto ninguém sairá, inteiro ninguém sairá... mas o que mais será... o brilho da manhã ainda é seco, o amarelo da noite ainda é pálido, e a vida ainda é começo...

Isso soa quase como aquela música de notas calmas e descontínuas, soa quase como a onda leve que nos carrega pelo caminho certo, o incerto, de pulsação.

3 comentários:

Calhev disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vinicius disse...

Posso tentar colocar notas calmas e descontínuas no parágrafo inicial desse texto? Já fiz isso para um texto da Anna (quase-fala), pergunta pra ela o que ela achou. Se eu conseguir eu te mando!

William Wagner disse...

Li o seu comentário no blog...achei estranho e engraçado. Nesta segunda-feira(06), vou apresentar a minha reportagem de conclusão de curso, e adivinhe qual o tema? Meio ambiente é claro!

Adiciona este contato para a gente conversar durante o dia: MSN: westibular@unibes.edu.br

Abraços e até mais.