segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

agora eu posso dizer que acabou.

Foram trinta minutos de não existência, talvez muito mais que isso, antes e depois. Ainda é uma incógnita para mim se eu estava realmente falando, ouvindo, comemorando... nada me parecia real. O ritual de passagem só se completa quando a chuva finalmente leva embora aquele peso todo, tão colado e espesso ao nosso corpo, e enfim, quando o vento bate no rosto durante uma noite quente dizendo que realmente é tempo novo.

4 comentários:

Fern. disse...

Não sei na vida o que é ser completa, mas deve ser quando todo dia for um ritual de transição e de leveza como esse que você descreve.

Beijos!

DDA Silveira disse...

Gostei muito do teu blog. ;)

Flavih A. disse...

E o que seria de nós sem essa chuva. Pra lavar o corpo e a alma.

=)
Beijo flôr

Maria Rita disse...

Tudo lindo por aqui...

Desejo um lindo Natal pra vc e toda a sua família.

Beijos natalinos pra Ti