sábado, 26 de junho de 2010

Passei a tarde, noite e manhã inteiras tentando me livrar da sujeira que estava impregnada neles. Porque as coisas fluem e se espalham pelo ar... e daí fica assim: eu respirando a agonia toda. Felizmente os acasos surgem e me trazem um pouco de luz. Mas ainda há resquícios que que precisam de tempo pra sair do corpo.

Um comentário:

Giuliano Toledo disse...

poetiza... é assim caminha a humanidade, sem medo de sentir, sem medo de gritar, mas na hora de agir...paralisia Não !!! parabéns pela atitude de escrever e dizer o que pensa....forte abraço...Giuliano Toledo