quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Sensação estranha.

Que vontade de reviver sentir algo como e ao mesmo tempo não querer reviver.
Olho pra você e tento arrancar alguma coisa, que nem mais eu sei. Afinal, o que teria mais ali?
Esqueci que até a distância passou.
Esqueci que tudo passou.

Esqueci que afinal aqui estou. E que vou ter que segurar as pontas nos pés, agora.

Ode ao novo tempo, e estou com medo da minha mente.

4 comentários:

bea disse...

por que medo?

bea disse...

exato, dos pés que não pisam mais lugar algum.

Andryo Dias disse...

"Correria ainda milhares de vez embaixo de chuva."


Que lindo isso, Tati :)

Álvaro de Campos disse...

Medo é que nos prova que estamos vivos, ter medo da mente é ter medo de si mesma? Como pode ter medo daquilo que conhece tão bem? Só devíamos temer o desconhecido. Você desconhece você?