segunda-feira, 10 de março de 2008

uma síntese de intensidade;

Era parar em uma esquina e se tornar transparente em um enlace. Um abraço que trouxe e levou todo o peso do mundo. Tornou o vento e nossos corpos uma só coisa. Os olhos não abririam, sem força, pois lágrimas escorreriam por dez minutos sem parar. Por dez minutos, de um tempo, sem contar... Depois de um dia, depois de uma noite de um dia 12 eu aprendi a viver o que é meu. Aprendi o que foi intensidade, o que é intensidade, e agora, eu aprendi o que é celebração. De vida, e não de amor. De amor por vida, de ganhar corações... sem tê-los, sem possuí-los, de celebração.

Um comentário:

Fernando S. Trevisan - http://fernandotrevisan.com.br/ disse...

Que bonito :}

Só entende quem sabe um pouco da tua história (se é que eu realmente entendi) mas é bonito ver teu crescimento e amadurecimento, daquela menina mal humorada e chatíssima para essa quase-mulher, linda e vivendo a vida intensamente.

Muito, muito bom, Tata!!!

:***